Você é um deles!

Publicado: 12/05/2010 por Estêvão em Games, Notícias
Tags:, , , , , , ,

xcom

Falando sem rodeios X-COM é um dos melhores jogos já criados.


Com uma remake renomeado XCOM (viu o que fizeram?) a caminho, aqueles que, por falta de idade ou oportunidade, não conseguiram jogar o jogo têm ainda mais motivos (e obrigação) para experimentar esse Clássico. Absoluto. Não metade de um clássico, mas um clássico inteiro. Completo.

Eu estava tentando  fazer uma piada aqui…pois é, eu apenas queria ter inventado aquele nome.

Ahem.
A primeira coisa que vocês devem ter ouvido junto com a notícia do remake é que ele será um FPS (ou jogo de tiro em primeira pessoa) ao invés do combate estratégico por turno.

R!OT

Houve quem não gostou desta parte da notícia. Fanboys principalmente.

Fanboys ficaram apreensivos e pessimistas. Acusaram a 2K de estar profanando um clássico e protestaram (em blogs e fóruns online, naturalmente).Fanboys têm medo de mudanças. Para eles o desconhecido é perigoso e assustador, por isso que eles nunca saem da casa dos pais.

Eu também escutei de uma fonte confiável que eles nunca beijaram uma garota na vida.

“Tá, e o que tem esse Xcom de mais?” Você me pergunta. (É X-COM, filho, em maiúsculas e com o “-”.)

Simples. Baixe o jogo e um emulador de DOS, e se você gostar compre a versão para Windows XP/Vista/7 no site do Steam aqui por apenas cinco dólares.

Não vou tentar explicar porquê X-COM (com o “-”) é um dos melhores jogos já lançados para o PC. O prazer de jogar o jogo vêm da experiência completa, que para entender é preciso experimentar em primeira mão. E eu dizer isso já devia ser o suficiente. Mas vou tentar dar uma rápida descrição de X-COM para vocês entenderem o que vão estar mudando e se isso vai ser uma perda ou um ganho.

Há alguns elementos de RTS no jogo. Você está no comando da X-COM, uma organização financiada pelas nações de todo o globo na luta contra a ameaça terrestre. O jogo te põe no controle de uma base que será o centro das suas operações, e que permite construção de estruturas como centros de pesquisa, workshops, radares, etc . Você fica gerenciando seus recursos, treinando recrutas, assistindo reprises de Arquivo X até que seus radares captem alienígenas no seu espaço aéreo. Enviem os caças interceptadores!

Momentos de tensão no desembarque

Independente da eficácia das suas aeronaves (que ainda vão receber armas phasers, mísseis ressonantes e inúmeros upgrades alienígenas) há agora um OVNI em solo terrestre, com mais ou menos aliens vivos para você mandar sua equipe exterminar. Após certificar que seus homens (e mulheres) estão devidamente equipados e o avião de transporte está abastecido, é hora de enviar seu time, pouco experiente e mal equipado frente à tecnologia alien. Ao menos metade deles vai voltar.

Essa é a parte principal do jogo onde você controla seus soldados através de um sistema de combate por turno (pense os primeiros jogos SWAT, não um JRPG) em diferentes localidades, de desertos a cidades no meio de uma “colheita” alienígena. Vencida a batalha, seus soldados sobreviventes trazem de volta qualquer tecnologia que você tenha conseguido capturar para ser estudada e adaptada para o SEU futuro uso. Com o tempo você terá soldados em armaduras futuristas voadoras e habilidades psiônicas, caças que podem viajar no espaço, bases adicionais ao redor do globo e levará a luta para a base dos alienígenas em Marte.

Guile dá um tempo nas lutas de rua para salvar a Terra


Repita esse processo por 3 dias seguidos e continuará tão divertido quanto a primeira vez.

E qual o problema da mudança de gênero? Fallout fez isso e eu fico pagando pau para aquele jogo desde então...
Simples. Nunca antes na história desse Brasil, cumpanheiros, eu vi vários tipos de gameplay serem tão bem integrados num único jogo. Tudo se mesclava facilmente, não haviam parte chatas que você tinha que jogar para poder voltar à parte divertida.(No More Heroes, GTA IV, etc). Era uma experiência única, coesa e linear que parecia natural.
Em resumo, quem jogou o original se apaixonou por ele justamente por causa dos estilos variados de gameplay. Quem preferia FPS’s com aliens na época, jogou Doom e hoje não poderia estar mais feliz com Gears of War, Halo e qualquer outro game com (aqui vai de novo) fuzileiros espaciais de armadura e super armas fálicas compensando deficiências óbvias.

Até o final dessa semana vamos publicar o preview do jogo, publicado originalmente pela Official Xbox Magazine, contando como foi jogar o demo (ainda nos estágios iniciais).

Fica um vídeo ensinando como matar alienígenas, MOTAFOCA WAY.

Estêvão

Da minha parte eu gostaria de dar as boas vindas aos nossos novos senhores supremos aliens.


E lembrando que o terceiro jogo da série, XCOM-Apocalypse,  já havia alterado significantemente a fórmula padrão. Eu não lembro dos fanboys “xingando muito no Twitter” naquela época.

Anúncios
comentários
  1. Gustavo disse:

    Nossa, Estêvão, você se superou! Excelente texto.
    Eu vou ter que dar uma olhada nesse X-COM, parece um jogo de estratégia bem completo.

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s